Marta Marco Buyolo
Marta Marco Buyolo, Marketing Specialist Umbler

Copa do mundo #5: França, destaque no futebol e na tecnologia

A última e única vez que a equipe francesa levantou a taça da copa do mundo foi em 1998, justamente no ano em que sediou o mundial. Dois anos depois, no ano de 2000, a seleção francesa também ganhou o Campeonato Europeu. Mas, apesar de ter a sorte a seu favor por um tempo, na Copa do Mundo no Brasil a França só chegou às quartas de final.

Sem dúvida, a França se tornou uma das favoritas da Copa do Mundo na Rússia, sendo uma das equipes que melhor jogou até chegar na final. Isto é possível graças a uma equipa de promessas onde Kylian Mbappé se destaca, o mais jovem destaque do campeonato que, com apenas 19 anos, foi consagrado uma estrela do futebol, após dois magníficos gols contra a Argentina.

Nesta Copa do Mundo a equipe francesa mostrou onde estão concentrados os melhores talentos. Nada mais, nada menos que nos subúrbios parisienses. Daqui emerge a carreira meteórica do jovem Mbappé, assim como Pogba, Kanté, Mendy e Matuidi, para citar alguns. No momento, os rumores sugerem que Mbappé, no olho do Real Madrid, será a contratação mais cara da história do futebol, superando os 222 milhões de euros que Neymar custou ao Paris Saint Germain. O time francês pagou 180 milhões de euros pelo atacante francês.

Mas, tudo isso no campo do futebol. Agora vamos ver como estão as figuras da tecnologia francesa?

O panorama da tecnologia na França

O país é um dos líderes em termos de tecnologia e inovação, especialmente no campo da inteligência artificial, software, deep tech e no campo da saúde. A França tem o ambiente perfeito para as startups emergirem e poderem prosperar com sucesso. Isso faz com que a capital, Paris, tenha a maior concentração de startups na Europa, com mais de 12.000. Este valor está acima do número de startups de Londres e Berlim juntas. Para continuar a promover este grande hub, a iniciativa Créative France  é criada com o objetivo de atrair investimentos estrangeiros, especialmente japoneses e chineses. O objetivo é colocar a França como líder global em inovação, empreendedorismo e criatividade. E está a caminho de conseguir isto. Até agora, o investimento ultrapassou 2,2 bilhões de euros em 2016, com 574 fundos levantados, segundo dados da Ernst & Young publicados no Finantial Times. E não é por menos se olharmos para os números que descrevem este cenário:

  • 450 incubadoras e aceleradoras
  • 12.000 startups reunidas apenas em Paris
  • 200 empresas de software em nuvem

Apesar do panorama tecnológico genuíno e favorável, existe apenas um unicórnio francês que é a empresa Blablacar, também operante no Brasil. Com um modelo de negócio baseado na economia colaborativa através de uma plataforma P2P (peer to peer), tem mudado o modo de se mover de milhões de pessoas. Mas a coisa não fica aqui. Na França há atualmente um bom número de startups que atendem todas as características para se tornarem os próximos unicórnios, ultrapassando o valor de 1 milhão de dólares. Como seu presidente de governo, Emmanuel Macron, anunciou no evento VivaTech em Paris em junho do ano passado “ele quer transformar este país no país dos unicórnios”. Desde a sua chegada ao governo, o ecossistema tecnológico tomou um rumo radical, graças ao constante investimento e apoio ao empreendedorismo, a tecnologia e a inovação. Isso lhe rendeu o título de “o presidente startup” por seu grande apoio ao setor por meio de leis trabalhistas e taxas de impostos mais flexíveis.

Entre as mais importantes startups atuais com potencial para se tornarem unicórnios, destacam-se:

Netatmo. Fundada em 2011, esta empresa francesa é especializada em “casas inteligentes”. Eles se dedicam ao desenvolvimento de produtos eletrônicos inteligentes e inovadores que tornem as casas mais seguras e confortáveis por meio da tecnologia.

Prodways. São startups especializadas em impressão industrial 3D focadas em diferentes setores, principalmente arquitetura, saúde e aviação, sendo uma das líderes mundiais neste campo.

Aledia. Focada em obter uma revolução LED, produz este tipo de telas e iluminação para empresas gigantes como IKEA ou INTEL cujos grupos receberam capital.

Sigfox. Fundada em 2009, possui mais de 200 funcionários focados no desenvolvimento de soluções de conectividade para a IoT. Isso lhe valeu o título de líder mundial em seu setor. Atualmente, está presente em mais de 60 países, onde vários estão incluídos na América do Sul.

Como é a atmosfera da nuvem

A França é o berço das grandes empresas de hospedagem na nuvem na Europa. Existem mais de 200 concentrados, o que é permitido por legislação, garantindo a proteção dos dados por meio de regulamentações sobre criptografia, bem como políticas de promoção da inovação e do empreendedorismo. Uma combinação perfeita entre eles, a empresa que se destaca é a OVH, que oferece serviços VPS através de seus 27 datacenters hospedados em 19 países.

Mas se olharmos para o panorama das nuvens francesas, encontramos um fato muito curioso. A maioria das empresas globais de nuvem são francesas, embora sejam desenvolvidas nos EUA. Isso é possível porque, quando elas conseguem arrecadar mais de 15 milhões de dólares, decidem transferir sua sede para São Francisco ou Nova York. Esta é uma estratégia de negócios que lhes permite acessar mais capital e investimento. No entanto, a razão para manter um pé na França é o alto custo dos salários dos desenvolvedores americanos em comparação com os franceses. Dessa maneira, manter um pé na Europa e outro nos EUA permite a cobertura de um mercado muito mais amplo. Isso criou uma série de laços e pontes entre esses países, apoiados por importantes programas internacionais de investimento, como Y Combinator ou Techstars.

Um exemplo dessa trajetória é o da Front, empresa dedicada a melhorar os processos das empresas. A gigante de tecnologia foi fundada em 2013 em Paris, um ano depois migrou seu escritório central para São Francisco. Eles conseguiram levantar 10 milhões de dólares em investimentos, atraindo clientes maiores. Uma estratégia que, sem dúvida, serviu ao ecossistema tecnológico francês para empreender expansão e crescimento ininterruptos.

Desenvolvedores franceses

O bom sistema educacional e o adequado ecossistema tecnológico fazem com que a França tenha alguns dos melhores desenvolvedores do mundo. Eles são uma das razões pelas quais as empresas francesas que estão internacionalizadas para os EUA mantêm laços com seu país de origem. Segundo dados do HackerRank, os programadores franceses estão entre os 8 países mais preparados do mundo.

Atualmente, podemos citar alguns dos nomes mais conceituados em termos do que a programação francesa contribuiu para a ciência da computação. Estes são os cinco desenvolvedores mais destacados:

  1. Damien Doligez. Acadêmico e programador, desenvolveu o sistema OCaml, baseado na linguagem de programação Caml.
  2. Jean-Marie Hullot. Este cientista da computação e programador foi o autor de programas importantes para os primeiros computadores da Apple, Macintosh, bem como a plataforma Mac OS X. Ele também é famoso por ter liderado o desenvolvimento dos aplicativos MacOS, iCal e iSync.
  3. Sam Hocevar. Ele é um programador de videogames que, entre outros, liderou o projeto Debian entre 2007 e 2008. Atualmente, ele trabalha na área de segurança da informação da gigante americana AT&T.

5 Invenções francesas que mudaram o mundo

Quando alguém pensa na França, é provável que três coisas venham à mente: a Torre Eiffel, o Moulin Rouge e o pão de baguete. No entanto, resgatamos cinco invenções incríveis que mudaram o mundo e sem as quais não poderíamos viver agora. Estas são cinco contribuições francesas:

O sistema braille. Esse método de leitura e escrita para cegos foi uma invenção criativa do francês Louis Braille, que ficou cego por acidente quando criança. Em 1824, quando tinha apenas 15 anos, teve a grande ideia de criar um sistema de pontos para poder ler com apenas um dedo, o que mudou a vida de milhões de pessoas cegas em todo o mundo.

O sutiã foi a invenção de uma mulher francesa chamada Herminie Cadolle, que abriu sua primeira loja de lingerie em 1887, fazendo esses itens para suas clientes. Mudar o espartilho desconfortável para o sutiã foi um sucesso retumbante que a levou a fundar a casa de lingerie Cadolle e abrir oficinas.

O secador de cabelo também foi uma invenção francesa. Foi o cabeleireiro Alexandre-Ferdinand Godefroy em 1890 quem decidiu adaptar uma espécie de aspirador de pó para sua sala de estar, trocando o tubo de entrada por um de saída.

O cinematógrafo foi a máquina desenvolvida pelos irmãos Lumiére no final do século XIX, que pela primeira vez permitia filmar e projetar imagens em movimento. Esta invenção foi uma revolução com grande importância, especialmente para o mundo da cultura.

A câmera do telefone celular. Philippe Kahn foi quem desenvolveu o primeiro telefone com uma câmera em 1997. Este matemático, inovador e empresário foi o fundador de quatro empresas de tecnologia. Mas foi com sua empresa LightSurf, com quem ele desenvolveu e lançou a primeira câmera em um telefone, que permite compartilhar fotos nas redes.

 

10 Curiosidades sobre o país

  1. Um dos principais pratos da gastronomia francesa são os caracóis, que também são considerados uma iguaria. Eles os amam e consomem cerca de 30.000 toneladas dessas lesmas por ano.
  2. Se há uma coisa que os franceses adoram, é o queijo. Em cada região eles são especialistas em pelo menos um tipo, de tal forma que se estima que existam mais de 400 variedades diferentes em todo o país.
  3. O croissant não é francês, embora tenha se tornado um símbolo das padarias francesas. Sua origem remonta ao século XVII, em Viena, onde começaram a fazer estes doces folhados. A forma de meia-lua se refere aos turcos que foram surpreendidos por uns padeiros vienenses quando cavaram um túnel para entrar a conquistar a capital austríaca. Isso tornou possível evitar tomar a cidade. Em honra dos padeiros, eles receberam a ordem de fazer esses doces na forma do símbolo turco, a lua crescente.
  4. O hino nacional da França, “A Marselhesa“, foi escrito em 1792 e tem sido considerado por muitos como um dos mais belos e emblemáticos hinos do mundo.
  5. A estação mais movimentada da Europa é a Gare du Nord, em Paris, com 190 milhões de passageiros por ano. Além disso, esta mesma estação é uma das mais antigas, desde que foi inaugurada em 1846.
  6. O francês é uma língua falada não só na França, mas também na metade do Canadá, algumas ilhas do Caribe e grande parte da África. No total, estima-se que 270 milhões de pessoas falam essa língua em todo o mundo.
  7. Outro fato curioso é que o francês foi a língua oficial da Inglaterra por quase 300 anos, sendo usado na justiça e no tribunal. Só em 1362 que o idioma deixou de ser usado no Parlamento inglês, já que a maioria não falava francês e não conseguia entender o que era dito nos julgamentos.
  8. A montanha mais alta da Europa é encontrada nos Alpes franceses. É o Mont Blanc e tem 4810 metros de altura.
  9. Durante a Segunda Guerra Mundial, Hitler visitou Paris. Mas os franceses decidiram cortar os cabos dos elevadores da Torre Eiffel para se caso o líder do partido nazista quisesse subir, teria que ser pelas escadas.
  10. A França participou de 14 Copas do Mundo, mas só ganhou uma em 1998. Será que desta vez, na Rússia, conquistará seu segundo título como campeã mundial? Estaremos de olho!

O jogo final será contra a Croácia, que pela primeira vez em sua história está em uma semifinal da Copa do Mundo. A Croácia jogou pela primeira vez em 1998, terminando em terceiro lugar. Esta é a sua quinta Copa do Mundo, e primeira que ela tem a chance de ganhar.

Tem uma história legal sobre uma experiência de trabalho na França? Então conta pra gente!

Confira também estes conteúdos que preparamos sobre copa de tecnologias:

Marta Marco Buyolo
Marta Marco Buyolo, Marketing Specialist Umbler