Blog

7 técnicas de SEO que você não deve aplicar em seu e-commerce

Acesse os tópicos

Ao criar um site, algumas ferramentas de marketing são essenciais para os negócios, mas há algumas técnicas de SEO que você não deve aplicar em seu e-commerce.

A aplicação das ferramentas exige muito conhecimento, prática e planejamento e, é justamente por isso que muitas vezes os empresários cometem erros com relação a isso.

Assim, usar o SEO de maneira errada pode não apenas ser inútil como também pode atrapalhar. Então, veja a seguir quais técnicas de SEO não aplicar no seu e-commerce. 👇

1.  Pensar apenas em ser o primeiro do ranking

Obviamente ter o seu site entre os primeiros em uma busca é uma excelente vantagem diante dos concorrentes.

No entanto, hoje em dia não é mais necessário estar entre os primeiros para ser visto.

Isso porque a página de resultados do mecanismo de busca, a SERP (Search Engine Results Page) até algum tempo atrás era uma página simples com links.

Mas após as atualizações dos algoritmos e mudança do foco dos mecanismos de busca por sites que oferecem melhores experiências, a página passou a ser mais completa.

Atualmente, além dos links o usuário tem acesso também a conteúdos que tornam a pesquisa bem mais completa e detalhada.

Por isso, mais do que dar foco à primeira colocação nas buscas, é essencial conhecer a SERP e explorar todas as oportunidades que ela tem a oferecer.

2.  Usar a palavra-chave exageradamente

Até algum tempo atrás, usar muitas vezes uma palavra-chave era considerado uma boa estratégia para subir no ranking nas buscas.

No entanto, após as atualizações, privilegiou-se textos com leitura fluida, que geram efeitos positivos nos leitores.

Assim os buscadores priorizam o direcionamento dos usuários para páginas que sejam realmente relevantes.

Então as publicações que tenham muitas palavras-chave incluídas sem necessidade agora tendem a perder lugar no ranking.

Além disso, é essencial priorizar também:

  • Originalidade do conteúdo;
  • Fluidez do texto;
  • Uso da norma da língua escrita;
  • Boa disposição dos blocos do texto;
  • Tamanho das frases;

Essa adaptação facilitou a forma como o conteúdo é criado e escrito, pois não há mais a necessidade de criar textos repetitivos com as palavras chave sendo citadas várias vezes.

3.  Manter o texto engessado 

Primeiramente, é preciso dizer que o Yoast é um plugin que faz sugestões de como você pode deixar o seu texto otimizado.

Apesar de isso ajudar bastante a manter a sua página bem rankeada, ele faz apenas sugestões e você não precisa se prender à elas.

É bastante comum que pessoas menos experientes fixem demais a isso e acabam fazendo edições em excesso.

Isso pode inclusive prejudicar o posicionamento da página porque os buscadores acabam interpretando como falta de originalidade e texto mal elaborado.

Mas por que isso acontece?

O Yoast é um plugin que entende os algoritmos que os buscadores usam nas pesquisas. No entanto, muitas vezes ele faz sugestões demais.

Então quando você tenta adequar o texto perfeitamente às exigências feitas por ele, acaba deixando a escrita artificial.

Inclusive muitas vezes o seu texto pode acabar perdendo o seu sentido e se torna um texto ruim. Isso prejudica a experiência do usuário no seu site.

Sendo assim, sempre que for corrigir os seus textos, tenha bom senso. Adeque ao máximo a escrita aos requisitos do Yoast, mas leve em consideração que o texto deve ter leitura fluida e ser prazeroso.

4.  Ter páginas diferentes para palavras chave associadas

Atualmente a concorrência virtual está mais acirrada do que nunca e, por isso, é preciso ter estratégias diversificadas para se manter à frente dos demais concorrentes.

No entanto, ter uma página diferente para as variações da palavra chave provoca a pulverização dos esforços de rankeamento, reduzindo a eficiência.

Sendo assim, hoje em dia o mais indicado é trabalhar muito bem a palavra-chave em uma única página e se esforçar para criar conteúdo de qualidade e muito relevante nela.

5.  Usar conteúdo grande demais

Existe uma tendência em achar que conteúdos maiores rankeam melhor, mas isso não é necessariamente uma verdade.

Até algum tempo atrás, o número de palavras-chave usadas ao longo do texto era muito relevante. Mas atualmente os buscadores consideram a experiência do leitor.

Por isso o ideal é criar conteúdo de qualidade, que seja muito relevante e que tenha palavras-chave usadas dentro de um contexto.

Para garantir isso, é necessário criar materiais em que o tamanho esteja de acordo com a necessidade, pois textos grandes e repetitivos não vão ranquear melhor do que os menores.

Então, a grande dica é estabelecer uma quantidade de palavras que seja suficiente para sanar a dúvida dos seus leitores ou para passar as informações de forma clara.

6.  Usar apenas SEO criativo

Como já foi dito, os algoritmos mudaram e agora é mais importante priorizar a experiência do leitor e não apenas as técnicas clássicas de SEO.

Apesar disso, há algumas regras essenciais que devem sim ser consideradas na escrita para que o texto tenha um bom posicionamento.

Então, o SEO criativo deve sim ser explorado, mas sem deixar totalmente de lado o SEO técnico. Ou seja, continua sendo importante manter os elementos de organização tanto do código quanto da estrutura do seu site.

7.  Ter vários domínios

Essa é mais uma estratégia com baixa eficiência porque acaba dividindo os esforços para garantir a boa colocação da página nas buscas.

A estratégia citada não apenas tem resultados questionáveis como também acaba sendo percebida pelos mecanismos de busca. Assim a qualidade do conteúdo pode ser considerada abaixo do desejado.

Conclusão

Com o aumento da competitividade no ambiente online as empresas começaram a investir na utilização das técnicas de SEO.

Isso é muito importante para obter uma boa colocação nas buscas, mas o exagero na utilização dessas técnicas acaba prejudicando a classificação.

Recentemente os algoritmos também passaram por atualizações e, por isso passaram a valorizar bem mais a experiência do usuário.

Dessa forma, há técnicas de SEO que você não deve aplicar em seu e-commerce para que ele não fique engessado, sendo assim prejudicado. 

Compartilhe esse conteúdo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Termos de Serviço  Política de Uso  Política de Privacidade