Juliana Spitaliere
Juliana Spitaliere, Content Marketer na Umbler @spitalierej

#1 Como criar landing pages de sucesso: visão geral

Compartilhe

Você tem um e-commerce, trabalha em uma agência de comunicação ou desenvolvimento, é freelancer ou, simplesmente, quer divulgar produtos e serviços na internet. Já tem um site otimizado, redes sociais ativas e um bom CRM. Agora, você só precisa atrair clientes, certo? Quando o assunto é converter visitantes em leads, um item não pode faltar: a landing page. Essa é considerada a “pista de aterrissagem” para possíveis clientes que acessam um site, sendo um dos componentes essenciais de uma estratégia de marketing digital.

Apesar da receita de uma boa página de destino parecer relativamente simples, existem alguns fatores importantes que jamais podem ser ignorados. E esses vão muito além de um design simples, um conteúdo atrativo e uma oferta de produto ou serviço irrecusável.

Pensando na produção de landing pages de qualidade, que consigam sintetizar informações de forma clara e que, por consequência, gerem boas conversões, iniciamos hoje uma série sobre a criação de landing pages de sucesso, desde a concepção e criação, até a divulgação e análise de resultados.

Inbound Marketing

Para agências digitais, que auxiliam empresas a alavancarem suas vendas, e também para empreendedores individuais, que necessitam promover produtos e serviços próprios, o entendimento (e atualização) sobre estratégias de marketing digital é fundamental e definitivo. São muitas as possibilidades de divulgação na era das redes sociais e dos dispositivos móveis – cada vez mais competitiva. Inclusive, dentro do próprio universo do marketing, são diversas as vertentes de trabalho, o que possibilita escolher táticas cada vez mais alinhadas às especificidades de cada cenário.

Entregar conteúdo relevante, que auxilie um usuário a solucionar uma dor específica. Auxiliar na compreensão de uma necessidade e entregar alternativas para saná-la. Ou mesmo alertar sobre uma carência (ainda não identificada) e indicar recursos pertinentes. Essa é a proposta do Inbound Marketing, gênero surgido em 2006 e que tem ganho cada vez mais força em estratégias de comunicação digital para empresas. O objetivo é não empurrar nada e, sim, estar no lugar certo, no momento certo – seja quando o usuário vai atrás de uma informação ou quando surge um conteúdo que o alerta.

Baseado na ideia de funil, onde diversos usuários vão sendo filtrados e encaminhados de acordo com suas situações, o Inbound Marketing apresenta ações exclusivas, por ciclos, com o objetivo de alcançar um número considerável de clientes satisfeitos e fidelizados. Tratam-se, basicamente, de quatro grandes etapas: atração, onde usuários desconhecidos se tornam visitantes; conversão, onde visitantes tornam-se leads (potenciais compradores); fechamento, quando leads tornam-se compradores, efetivamente; e encantamento, quando os clientes tornam-se advogados e defensores da marca – e, por consequência, acabam trazendo outros compradores.
post-16-05-01-langing-funil

Uma das etapas mais significativas desse processo é, sem dúvida, a de conversão, principalmente no sentido de filtrar usuários relevantes, com verdadeiro potencial para a compra e fidelização. Ao definir grupos de prospects, é muito fácil atuar de forma expressiva e precisa, sem gastar tempo e dinheiro com usuários que não estão em um momento adequado para a compra ou mesmo que não demonstrem real interesse em uma solução. E, nessa etapa, o papel principal fica com as já famosas landing pages – também conhecidas como páginas de destino ou páginas de captura.

Mas o que é mesmo uma landing page?

Uma landing page nada mais é que uma página que possibilita a captura de informações de um visitante através de um formulário. Funciona assim: depois de clicarem em uma chamada em seu site, blog, resultado de busca ou anúncio na internet, os visitantes são direcionados para a landing page, onde irão preencher seus dados para receber uma determinada oferta/benefício. Só depois de fazerem isso são convertidos em leads e seus dados estarão disponíveis em um banco de dados.

Independente do porte da empresa ou do setor em que ela atua, o objetivo final de uma página de destino é sempre o mesmo: capturar o interesse de um visitante por meio de algo que o negócio tem a oferecer. E, em seguida, usar essa oportunidade para “estimulá-lo” a passar para a próxima etapa do funil de vendas. De forma resumida: sua principal finalidade é incentivar a conversão, seja ela qual for.

O que ofertar em uma landing page?

As páginas de destino podem ser usadas tanto para permitir que os visitantes do site façam o download de ofertas de conteúdo, quanto para conceder a sua inscrição em testes gratuitos ou demonstrações de seu produto. Este tipo de conversão possibilita que aqueles visitantes que ainda não estão prontos para adquirir o seu produto ou serviço sejam retidos, e tornem-se clientes mais à frente.

Entre as ofertas de conteúdo que sua empresa pode oferecer em troca de informações de usuários estão: relatórios e whitepapers, com estatísticas sobre o ramo de atuação; e-books ou guias, sobre seu produto ou serviço; newsletters, com dicas relacionadas a sua especialização; ferramentas, calculadoras e produtos digitais editáveis, como checklists e apresentações; vídeos ou webinars, com temática relacionada à sua solução; entre outros.

O objetivo principal deve ser entregar informações ou permissões que sejam realmente relevantes, exclusivas e definidoras para a tomada de decisão do usuário.

Exemplos de landing pages

Para inspirar a criação de suas páginas, selecionamos alguns bons exemplos de landing page com objetivos distintos. Lembre-se: a produção de uma página de captura depende totalmente das metas que se deseja atingir com ela.

Hello Bonsai

Este site, que disponibiliza templates de documentação e métodos de pagamento para freelancers, aproveita sua própria home como landing page. Apresentando um botão para ação (call-to-action) já no topo da página, indica o cadastro gratuito do usuário. Abaixo, explicita todas as funcionalidades disponíveis, depoimentos de usuários e mais CTAs. Transformando visitantes em leads (e clientes free) é possível seguir com ações de inbound e fazê-los avançar no funil de vendas.

hello-bonsai_exemplo-landing-page

Headway App

Também com o uso da home como página de captura, a página deste aplicativo é um ótimo exemplo de design de landing pages. Mantendo o logo e o CTA para se cadastrar na ferramenta web, a rolagem para mais informações fica na lateral direita, delimitando o espaço e focando a atenção para o botão de ação. Em apenas duas telas, o usuário consegue compreender as funcionalidades do aplicativo e se cadastrar.

headway_exemplo-landing-page

Hubspot

Já esta landing page possui um objetivo diferente: captar leads através do download de um ebook. A exibição do formulário e do botão de ação já no topo da página aceleram o processo por parte do usuário e apontam para o rodapé da página, onde mais informações são exigidas, para uma melhor segmentação do lead adquirido.

hubspot_exemplo-landing-page

Quer saber quais itens são essenciais em uma landing page e como divulgar e mensurar o sucesso de suas páginas? Confira os outros posts da série 😉

Juliana Spitaliere
Juliana Spitaliere, Content Marketer na Umbler @spitalierej