Vida Saudável para Desenvolvedores: é possível?

Se você fizer uma pesquisa sobre desenvolvedores e hábitos saudáveis, verá um monte de resultados do tipo “como desenvolvedores conseguem se manter saudáveis”: essa é uma dúvida bastante frequente por alguns motivos: falta de tempo, muito tempo na frente do computador, sedentarismo, opção por lanches e refeições mais rápidas e menos nutritivas, aquela história da pizza na agência quando o prazo está apertado. No Quora, existe até uma série de respostas sobre alimentação para programadores que fala sobre a “coeficiente de migalhas” do alimento o que permitirá comer mais tempo sem sair da frente da tela. Há ainda quem prefira não comer e apenas tomar shakes proteicos na frente do computador para não perder tempo de desenvolvimento.

É tipo isso:

Essa falta de tempo pode ser explicada por uma série de hábitos de desenvolvedores: de acordo com a pesquisa do Stack Overflow, a maioria dos desenvolvedores (69.1%) é autodidata e gosta de aprender novas tecnologias uma vez que estão empregados. Além disso, boa parte dos desenvolvedores contribui com respostas às perguntas do Stack Overflow e também com projetos open source – um comprometimento de umas boas horas do dia. Também, de acordo com a pesquisa, 12% dos desenvolvedores trabalham remotamente o tempo todo, e 17% acabam ficando longe do escritório de vez em quando. Esse cenário é o que Todd Motto estava vivendo:

When I first started out as a developer, I stayed up for hours and hours every single night learning as much as I could about HTML/CSS and JavaScript. I created open source projects, blog articles and much more. And to do all this and have a day job, you need some extra power. That power came down to Red Bull, energy drinks, coffee, a lot of caffeine!

Essa rotina parece familiar?

I was smoking 20 cigarettes a day, drinking tonnes of coffee and energy drinks, eating takeaways all the time. Why? Because it’s EASY to. When you’re working flat out it’s just too easy to grab something bad to eat, or at least it was because you know that junk food gives you a burst of energy over something smaller such as a lightweight chicken sandwich.

Essa é a maior verdade: levar uma vida pouco saudável é fácil! As opções estão em todos os lugares, o delivery é muito mais fácil, as bolachinhas ou biscoitos (não vamos entrar nessa polêmica aqui), podem ser ingeridos em qualquer lugar, até mesmo de frente para o computador. E aí está uma questão bem séria: o tempo que passamos sentados e parados pode ser um fator de risco. De acordo com a Harvard Business Review, passamos 9.9 horas sentados versus 7.3 (em média), dormindo. De acordo com a revista, a cada hora que passamos sentados, a produção de enzimas responsáveis pela queima de gordura cai 90%, nosso metabolismo desacelera e o nível de colesterol bom (HDL) diminui. Para a HBR, sentar é o “novo fumar” da geração atual: “sentar já é tão presente na nossa vida que nem pensamos no porquê fazemos”.

Então pode ser que você não perceba agora, que possa vir a demorar antes que você perceba os efeitos do estilo de vida atual. Esperamos te convencer a pensar melhor no assunto por dois principais motivos: o que você está fazendo agora está impactando muito o seu “eu” do futuro e uma vida não tão saudável pode estar prejudicando a sua produtividade e desempenho no trabalho.

gif-vida-saudavel-desenvolvedores

Pesquisas mostram que a alimentação está diretamente relacionada ao desenvolvimento cognitivo, à memória, à produtividade e até mesmo à capacidade de planejamento. Ou seja, aquela baixa de energia que acontece e que você cura com altas quantidades de café pode ser resultado de escolhas não tão boas. Aquela dificuldade em focar nas tarefas à sua frente? Pode estar relacionada ao seu almoço. Aquela maldita linha de código que quebrou tudo em produção? Falta de atenção que pode estar ligada à falta de algum nutriente ou mesmo desidratação – pesquisa da Sports Magazine mostra que pessoas com algum nível de desidratação têm piores capacidades de planejamento.

Convencido? Ainda não?

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, trabalhadores que seguem uma dieta saudável e praticam exercícios são 20% mais produtivos; dados da organização HERO (Health Enhancement Research Organization), Brigham Young University e do Center for Health Research at Healthways mostram que pessoas com uma dieta equilibrada tendem a ter uma performance de trabalho 25% melhor. Pesquisadores da Universidade de Washington provaram – após acompanhar a dieta de milhares de pessoas por 20 anos – que a ingestão de alguns alimentos, como batata, estão relacionados a um maior ganho de peso e que iogurtes, frutas e nuts estão mesmo ligados a um ganho de peso menor ao longo do tempo.

De acordo com o pesquisador Fernando Gómez-Pinilla, ômega-3 é associado a melhoras na capacidade de aprendizado e memória, além de ser associado ao combate de depressão e outros transtornos de humor. De acordo com o artigo Brain Foods, nos últimos 100 anos, o consumo de omega-3 diminuiu, o que pode ser associado à elevação dos casos de depressão em países como Estados Unidos e Alemanha. O pesquisador da UCLA também afirma que é possível perceber indícios de que a alimentação de uma pessoa pode influenciar as sinapses de seus filhos e netos.

gif-vida-saudavel-desenvolvedores2

Como isso acontece?

De acordo com a HBR, quando realizamos a digestão dos alimentos, nosso corpo transforma-os em glicose, o combustível do cérebro, por isso que é mais difícil ficar concentrado de estômago vazio. Só que alimentos diferentes são processados de forma diferente. Frituras, açúcares e farinhas refinadas liberam esse combustível mais rápido, dando um pico de energia para depois dar aquela moleza. Alimentos mais pesados e gordurosos, como carnes vermelhas, exigem mais esforço para a digestão, dando aquele cansaço após um almoção pesado. O melhor para manter um ritmo constante é comer alimentos que vão liberando esse combustível de forma gradativa.

E sabe qual é o motivo pelo qual muitas vezes caímos em armadilhas? Porque quando vamos comer estamos quase sem combustível – o que prejudica nossa capacidade de cognição e de autocontrole. Daí também a ideia de fazer lanchinhos e não deixar o corpo chegar na “reserva” de energias para agir.

Mas ok, e agora? Como driblar a falta de tempo e manter uma vida mais saudável? Esperamos que vocês estejam bem hidratados porque o segredo é planejamento!

  • Se você trabalha em casa ou leva almoço para o trabalho: prepare refeições com antecedência. Arroz e feijão prontos e salada sempre limpos ajuda bastante na hora de organizar o almoço/marmita do dia anterior;
  • Se você almoça fora diariamente, decida onde você vai almoçar com antecedência! Não deixe bater aquela bobeira da baixa glucose porque você vai acabar fazendo escolhas não tão saudáveis;
  • Tenha sempre algumas opções de lanches mais saudáveis na geladeira ou na sua mesa de trabalho. Uma boa ideia é lanchar iogurtes e nuts, que não só têm componentes que ajudam a cognição, mas também auxiliam ao não ganho de peso, de acordo com as pesquisas.
  • Beba água. Sério, não dá para dizer isso o suficiente. Tenha sempre uma garrafa ou copo de água ao lado da sua mesa;
  • Em caso de dúvida, escolha sempre a opção mais natural. Comida feita por seres humanos, e não máquinas, são preferíveis.
  • Se você quer, de fato, fazer uma re-educação alimentar, procure um profissional adequado para te auxiliar. Não vá atrás de um “sobrinho” da alimentação, ok?

Levante da sua mesa! Dê uma volta, tente caminhar um pouco durante o dia. Tente fazer suas reuniões caminhando. Estudos comprovam que a caminhada estimula o pensamento criativo e a comunicação mais honesta entre colegas de equipe. Para quem ainda dúvida, dê uma pesquisada em Walking Meetings para entender mais sobre o assunto.

Apps para te ajudar

A tecnologia está aqui para ajudar! Existem apps de celular para todos os gostos quando o assunto é vida saudável. Aqui listamos alguns (mais focados em Android), mas se você tiver outras sugestões, conta aí para a gente nos comentários. Lembrando que, assim como na mudança de alimentação, procure ajuda profissional para começar a praticar exercícios com segurança!

MapMyRun: app para salvar corridas e encontrar rotas de corridas em cidades diferentes.

Strava: também te permite salvar as rotas das suas corridas e pedaladas.

Beba Água: você coloca informações como o peso e a hora que você dorme e acorda e o app cria alertas para beber água durante o dia.

GoogleFit: Nesse app você cria metas, como passos por dia, e acompanha a progressão em um crongrama, perfeito para auxiliar nas reuniões com caminhada.

MovaMais: um aplicativo que transforma os quilômetros de corrida, caminhada e pedalada em milhas para você viajar! Quer mais incentivo que isso?

  • Renato Alexandre

    Muito bom o texto, por vezes descuidamos mesmo da nossa alimentação.

  • Então eu e minha esposa estamos tentando aderir à caminhada (inicialmente) porém o único momento livre para isso é depois das 19h para os dois. Porém temos 2 filhos pequenos (5 e 2 anos) que não iriam acompanhar nosso ritmo (por mais sedentários que somos)… e aí? Como faz?

    • Jaedson

      Deixa eles na casa da avó

      • Os parentes mais próximos estão +/- uns 2300km de distância… fica um tantinho inviável…

        • Que tal umas aulas fitness na sala pelo YouTube? Vcs se exercitam e as crianças se divertem junto.