Ash
Ash, Analista de Marketing Digital na Umbler @Ayswarrya

RD Summit 2016: Destaques de Uma Experiência Incrível

Compartilhe

Se eu pudesse usar uma palavra para descrever o RD Summit com mais do que 73 horas de palestras em apenas dois dias, essa palavra seria pessoas:

  • Às pessoas que organizaram esse evento – um dos maiores eventos no mundo do marketing digital aqui no Brasil
  • As 100+ pessoas (palestrantes) que falaram sobre 13 assuntos diversos como estratégia, marketing, vendas, atendimento, sucesso do cliente, etc.
  • As 5.500+ pessoas (participantes) que assistiram essas 100+ palestras

As palestras eram sobre as pessoas:

  • Pessoas que usam seus produtos/serviços – seus leads e clientes;
  • Pessoas que trabalham com você – seus funcionários e colegas;
  • E você! Sim – você com sua marca incrível, ideias supercriativas e estratégias maravilhosas

“Priorize o que os usuários querem aprender sobre o que os profissionais de marketing querem vender.”

Wil Reynolds, SeerInteractive

E foi assim que a manhã de quinta-feira começou. Estamos sempre ocupados otimizando o conteúdo para os motores de busca, mas nunca pensamos sobre otimizar o conteúdo para as pessoas. No final, são eles que estão comprando, estão falando sobre nossas marcas, produtos e serviços. Então pense em entender a intenção de humanos antes de planejar as campanhas de drip. Pense em resolver um problema antes do rankeamento no Google.

Quer saber como começou a manhã de sexta-feira? Assim:

“Shitty marketing is annoying. What’s shitty? A marketing campaign without a dedicated landing page. What else is shitty? A landing page without context or clarity, and full of distractions.”

Oli Gardner, Unbounce

Oli Gardner disse que uma campanha de marketing sem uma landing page dedicada é literalmente “shitty marketing” (não preciso traduzir esse termo, né?)’. Clareza é o mais importante numa landing page.

Oli é meu novo herói. Sabe por quê? Porque ele traduziu seus slides para Português e usou exemplos que eram relevantes para o povo brasileiro. E também porque ele é um palestrante maravilhoso.

Oli Gardner do Unbounce

Um tema comum que eu observei durante a palestra do Oli era usar o design para chamar atenção, deleitar seu público alvo e testar seus designs com pessoas reais.

Ele usou UsabilityHub para fazer testes rápidos de cinco segundos em suas landing pages com testadores reais para ver se as pessoas sabem o que a empresa faz apenas olhando um screenshot. Por quê? Porque, na maiorias das vezes, o que você fala e o que as pessoas ouvem não é a mesma coisa. Também porque às vezes a informação que você está mostrando é certa, mas a ordem está errada. Order matters!

Se você não quer usar essa ferramenta (não é de graça), gostaria de sugerir que você teste suas landing pages dentro da sua comunidades. Isso vai beneficiar você em duas maneiras:

  • Seu público alvo se sentirá mais engajado porque eles farão parte do seu processo de tomada de decisão. As pessoas sempre gostam de estar envolvidas.
  • Você recebe feedback do mundo real sobre suas landing pages.

Todos ganham!

Quando os keynotes acabaram foi quando o RD Summit realmente começou. Mais de 10 palestras diferentes rodando simultaneamente em todo Centro Sul – o centro de convenções em Florianópolis – das 11h às 18h30. Cada palestra parecia melhor do que a outra e era bem difícil escolher só uma. Tanto que eu queria me dividir em várias pessoas e participar de tudo, como a Alisha do Agents of SHIELD.

Alisha do Agents of the SHIELD

No entanto, eu assisti o quanto eu pude e tentei o meu melhor cobrir tudo em neste artigo. Para tornar mais fácil para você, dividi as palestras em quatro categorias:

  1. Marketing: Conteúdo, E-mail, Growth Hacking
  2. SEO
  3. Estratégia e Gestão da Marca
  4. Vendas e Sucesso do Cliente

Vamos começar?

Marketing: Conteúdo, E-mail, Growth Hacking

Uma das palestras era sobre automação avançada para gerar mais negócios, por Elton Miranda, da ContentTools. Seu mantra para sucesso com automação era:

  1. Conheça seus leads – Use uma ferramenta como Clearbit para conhecer melhor seus leads. Descubra se eles são leads qualificados. Você sabe se é um lead qualificado quando ele tem uma dor que você (seu produto ou serviço) resolve e quando ele é uma boa combinação para o que você oferece. Outras ferramentas que você pode usar são Growbots, especialmente para leads outbound, e Similartech, que ajuda a identificar a tecnologia que as empresas estão usando e oferece Business Intelligence para avaliar seu potencial.
  2. Nutra seus leads – Criar conteúdo que aborda a dor que seu lead tem e explica como você pode ajudar. Use sequências de e-mail para educar e nutrir seus leads para que eles convertam melhor.
  3. Automatize usando automação de marketing – Use uma ferramenta de automação de marketing como Pipz para criar uma jornada do cliente’, entender seus comportamentos e se engajar melhor.

Fabio Ricotta, da Agencia Mestre, aprofundou sua palestra um pouco mais em obter leads qualificados que convertam melhor. A melhor maneira de ter sucesso aqui é com a criação de personas do comprador (buyer personas). Ele nos deu um mapa de empatia para criar personas que realmente funcionem:

mapa de empatia

mapa de empatia com perguntas

Se tem alguém que sabe Growth Hacking, esse é o Eric Siu da SingleGrain. A palestra dele era sobre estratégias de aquisição que vão gerar crescimento. Ele começou mostrando como uma mudança de serviços de chat, como Zopim e Olark, para Intercom aumentou aquisição de clientes em até 12 vezes. Depois ele falou sobre o Youtube e como não focamos muito no Youtube, apesar do fato de que ele é o segundo maior motor de busca do mundo. É também um canal excelente de conteúdo, porque é barato, atrai o público certo e gera vendas. Isto foi seguido por dicas para anúncios no Gmail, Facebook, Instagram e LinkedIn. Você pode acessar sua apresentação completa aqui

Essa foi a parte 1 da palestra dele. Parte 2 era sobre conteúdo.

Conteúdo longo (longform content), que tenha mais de 2000 palavras, e use palavras chave de cauda longa é o que você deve produzir. Mas o seu trabalho não termina com a criação do conteúdo.

“20% of your time should be spent on creating content. The other 80% should be spent on promoting it.”

Derek Halpern

Alguns ótimos lugares para promover o seu conteúdo incluem:

  • Uso de social ads
  • Fazer contato individualmente com influenciadores e pessoas interessadas no assunto;
  • Publicando em seus próprios canais online
  • Encontrando pessoas que compartilharam conteúdo semelhante e chegando até elas

Se você achou que conteúdo é importante, você tem que saber que o e-mail é essencial para marketing.

“Email isn’t dead, it’s the key explosive growth.”

Scott Heimes, SendGrid

Heimes disse que há cinco pilares de qualquer campanha de e-mail bem sucedida:

  1. Design – Nunca envie e-mails sem um CTA (Call to Action). Inclua um CTA bem claro e acionável em cada e-mail. 
  2. Conteúdo – Uma coisa que muitas vezes não consideramos é o texto de preheader. Use esse espaço para reforçar seu CTA. Mantenha a linha de assunto relevante para o seu e-mail e evite usar hashtags ou emojis porque eles não funcionam.
  3. Contexto – Seus e-mails precisam ser oportunos, relevantes e pessoais. Se você estiver configurando e-mails acionados, considere as ações anteriores dos recipientes para otimizar seu tempo de envio.
  4. Globalização – Se seu público alvo é internacional, você precisa levar em consideração a linguagem e personalizar as ofertas de acordo com a localidade. Outra coisa a ter em mente é o cumprimento dos regulamentos globais de e-mail.
  5. Entregabilidade– A reputação é muito importante quando se trata de capacidade de entrega. Envie menos e-mails para pessoas que não abrem ou clicam em seus e-mails e evitam enviar e-mails para os contatos menos ativos na sua lista.

Se você pensou que o marketing de conteúdo estava limitado a de e-mail, site, blogs e mídias sociais, então pense novamente. Um dos métodos com mais sucesso, mas ainda pouco utilizado do marketing de conteúdo é o formato de webinar. Neil Patel, em seu keynote, nos deu seu mantra para webinars bem sucedidos:

  • Definir um objetivo e começar mencionando-o
  • Oferecer um bônus no início para as pessoas que ficam até o final
  • Estruture seu conteúdo como segredos ou mantras. Por exemplo: Segredos que eu aprendi da maneira mais difícil, mas você pegá-los da maneira mais fácil
  • No final, ofereça o bônus que você prometeu no início
  • Faça uma sessão de perguntas e respostas
  • Acompanhe seu webinar com uma sequência de e-mails

SEO (Spoiler: Não é o Search Engine Optimization)

Quando você pensa em conteúdo, você automaticamente pensa em SEO. É sobre isso que o Matthew Kligerman, do ESCALE , falou. O que chamou a atenção foi seu comando impecável do Português, o que é difícil para os gringos como eu. O que ele está fazendo no Brasil? Empreendedorismo – like a boss!

Reforçando a fala de Ricardo Amorim no começo do dia, ele acredita que o Brasil é um mercado em ascenção, com muitas oportunidades.

A palestra da Kligerman enfatizou a definição de métricas precisas e sensíveis ao tempo, como KPIs diários / semanais. Ele nos deu os quatro lados do diamante para calcular o valor de uma keyword:

  1. Volume de busca,
  2. Taxa de conversão,
  3. Nível de concorrência
  4. Valor médio de compra

Outra palestra que me impressionou foi a do Gustavo Bacchin da Cadastra. Como já sabemos, é cada vez mais difícil a competição pelos top três resultados. O que torna nossas vidas mais difíceis são os algoritmos de busca que estão sempre mudando. Então, como você chega a uma estratégia boa de SEO nesta situação? A resposta está em SEO – Search Experience Optimization. SEO não termina com o rankeamento. É sobre as pessoas e as emoções que serão responsáveis por aumentar cliques, visitas e conversões. Use storytelling para otimizar suas experiências porque esse storytelling é o diferencial. Na verdade a pirâmide do SEO está invertida.

A Pirâmide Invertida do SEO

Para nos deixar pensando, ele terminou a sua palestra com o futuro da busca – mobile. Então tudo que está na sua estratégia precisa ser com mobile em mente.

Estratégia e Gestão da Marca

Quando pensamos em posicionamento da marca, pensamos em o modelo de posicionamento padrão.

O modelo de posicionamento padrão

Esse modelo não funciona, porque ele assume que você sabe tudo, que raramente é o caso. Então jogue esse modelo fora e tente usar esses quatros estilos de posicionamento que a April Dunford do Sprintly nos deu:

  1. Head to Head – Competir cabeça a cabeça com o líder de mercado em seu nicho quando não há nenhum líder de mercado no nicho escolhido.
  2. Big fish, smaller pond – Competir em um mercado existente, mas apenas para uma pequena área / nicho – necessidades distintas que não são completamente satisfeitas pelo líder do mercado atual.  Isso garante que você não vai competir com os líderes de mercado diretamente.
  3. Reframe the market – Mudar a cenário com sua inovação que altera completamente o mercado, destacando seus pontos fortes e tornando a força do seu concorrente irrelevante.
  4. Change the game – Criar uma categoria de mercado totalmente nova, na qual você será o líder de mercado.

Se você é uma das marcas que faz tudo que o seu público alvo pede, então a palestra do J.D. Peterson do Trello é para você.

“Audience matters. But don’t be blindsided by them. Don’t say yes to everything they ask for.”

J.D.Peterson, Trello

Sim, a audiência importa.  Mas não seja cego por eles. Não diga sim a tudo que eles pedem. Por que ele falou isso? Bem, vou contar a história do Trello para vocês. Quando lançaram o Trello pela primeira vez, o público alvo era basicamente só desenvolvedores e engenheiros. Eles continuaram pedindo mais recursos específicos de desenvolvimento para o Trello. Mas o Trello não concedeu isso. Eles continuaram mantendo o Trello simples e fácil de usar para todos. É por isso que o Trello está onde está agora. Moral da história? Seu público não sabe tudo.  Escute-os, mas tenha cuidado.

Outra razão para o sucesso da Trello foi sua marca:

  • Um mascote divertido e bacana (Taco, você é demais!),
  • Conteúdo maravilhoso no seu blog (seu blog é um dos blogs mais bem sucedidos do mundo), e
  • Ótimo PR – eles construíram relacionamentos com jornalistas do TechCrunch, Fortune, Lifehacker, etc.

Último (mas não é menos importante), uma cultura da empresa incrível. Seus funcionários são sua principal força, e eles fazem de tudo para que a equipe se sinta amada, valorizada e importante. Lembra do que eu disse no começo? É tudo sobre as pessoas.

Vendas e Sucesso do Cliente

“Hierarchy at a workplace is a model for dictatorship; instead, treat employees as employers, which is democracy.”

Matt Doyon, Rock Content

De acordo com o Matt Doyon, da Rock Content, seus funcionários são o que vão definir o seu negócio. Bons funcionários são difíceis de encontrar, mais difíceis de reter. É difícil contratar as pessoas certas, encontrar pessoas que são responsáveis, trabalhadoras, automotivadas, flexíveis e impulsionadas por dados. E, para reter as pessoas certas, evite a hierarquia, pois é  uma forma de ditadura.

“The best way to market is to get your brand advocates talking about you. Also, ask them what they want instead of randomly handing out a T-shirt or concert tickets.”

Mat Rider, MongoDB

A melhor maneira de fazer marketing é  seus advogados da marca falarem sobre você. Faz sentido, certo? A palestra do Mat Rider era sobre como alavancar seus advogados de marca. Seus clientes são os melhores advogados da sua marca. Portanto, não espere que eles venham até você. Você tem que procurá-los no Twitter, Facebook, etc. Veja quem está falando sobre você e tente se engajar com eles pessoalmente. Faça com que eles se sintam especiais. É isso que sua equipe de sucesso do cliente deve estar fazendo com a ajuda da sua equipe de marketing. Se você trabalha com sucesso do cliente, você já sabe que o sucesso do cliente é único para cada empresa. Você não pode fazer o que todo mundo está fazendo, assim você não vai se destacar.

“Customer success is 20% strategy and 80% execution.”

Todd Eby, Successhacker

O Todd disse que você deve criar sua estratégia de sucesso com uma missão, princípios orientadores e um plano. Em seguida, deve determinar os indicadores de sucesso do cliente para medir o desempenho da sua estratégia. E depois? Faça testes. Implemente estratégias e veja se estão dando certo. Continue testando e otimizando suas estratégias para ser um líder no mundo de sucesso do cliente.  

Muita informação?  Don’t worry, get some coffee.

Cafe no RD Summit

Algumas linhas não fazem justiça a mais de 73 horas de palestras. Mas, ainda assim, eu tentei o meu melhor para capturar os destaques das palestras que eu tinha assistido e também da RD Summit em geral.

Se eu tivesse resumir este artigo com três dicas principais, elas seriam:

  • As pessoas vêm em primeiro lugar – suas dores, histórias, experiências. Pense nisso antes de planejar suas campanhas de marketing, estratégias ou ir à procura de ferramentas de marketing.
  • Escreva conteúdo claro e acionável com um único propósito.
  • Teste tudo com uma audiência real. Além disso, certifique-se que você pode medir tudo. Se você não pode medi-lo, então você não pode melhorá-lo.

Bônus: Quando tudo parece ser um pouco demais, sente e tome um café.  

Ash
Ash, Analista de Marketing Digital na Umbler @Ayswarrya
  • Wallas Lima

    Incrível !